preloader

“Quem fala que vai se matar, se mata sim”, alerta psicóloga

 “Quem fala que vai se matar, se mata sim”, alerta psicóloga

No mês em que se reforça a necessidade do engajamento da sociedade no combate ao suicídio, a Climege – Hospital Dia – abraça por meio de suas ações a união com toda sociedade para ajudar vítimas do mal do século, a depressão, que pode levar ao suicídio. Para iniciar qualquer discussão sobre o tema, a psicóloga Gizelle Theila destaca que a sociedade precisa quebrar tabus e saber ouvir os alertas dados no dia a dia.

A típica frase preconceituosa de que “quem vai se matar não avisa”, é um dos elementos que não pode passar batido. Praticar a empatia e exercitar o cuidado com o outro pode ter um impacto gigantesco neste sentido. “As pessoas trazem alarmes verbais. Quando você ouve de alguém a frase de que deseja morrer, que ninguém gosta dela, que se coloca em posição de inferioridade o tempo todo, afirmando não servir para nada, é, sem dúvida um alerta gravíssimo. Quando a gente ouvir essas falas, precisamos nos abrir para o diálogo”, explica.

A Psicóloga pontua ainda o julgamento da sociedade sobre o adoecimento mental. “Essa questão de a depressão ser vista como frescura está associada ao nosso histórico de adoecimento mental. É preciso avançar sobre este assunto. Ainda hoje temos barreiras que precisamos transpor. O psiquiatra precisa ser visto como um médico – e não de louco – o psicólogo tem que ser respeitado como um profissional super importante em diversos contextos”, reforça.

Ainda segundo a profissional, já que nos últimos meses estamos falando tanto de vacina, ela faz uma analogia e garante que atualmente a melhor vacina para esse sofrimento é o acolhimento, o respeito e o não julgamento. “Mais de 90% das causas de suicídio no Brasil está relacionada a depressão, ansiedade e transtornos mentais que são tratáveis”.

Gizelle refletiu ainda sobre a pandemia do coronavírus que trouxe à tona muitas questões, principalmente, as de perdas. “A grande sacada que devemos trabalhar é o acolhimento e incentivar quem está ao nosso redor a buscar ajuda”, finalizou.

A CAMPANHA

O “Setembro Amarelo” é a campanha que marca o mês dedicado à prevenção ao suicídio. No Brasil, ela é uma iniciativa do Centro de Valorização da Vida (CVV), da Associação Brasileira de Psiquiatria e do Conselho Federal de Medicina. Neste ano, o tema da campanha é “Agir salva vidas”.  O CVV faz um apoio emocional e preventivo do suicídio pelo número 188.