preloader

Enfermagem da Climege dribla desafios da pandemia e garante atendimento humanizado

 Enfermagem da Climege dribla desafios da pandemia e garante atendimento humanizado

A humanização no atendimento sempre foi uma característica marcante no acolhimento da Climege – Hospital Dia. Elemento que ganha tom a partir da atuação dos profissionais de enfermagem, sob coordenação de Viviane Murici. Neste 12 de maio, data em que é comemorada e reconhecida a atuação da enfermagem, evidenciar como o time está lidando com os desafios impostos pela pandemia, se faz oportuno e nos ajuda a compreender o amor que norteia os profissionais desta área.

Para Viviane, um dos maiores impactos trazidos pelo coronavírus foi justamente a distância automática entre profissionais e pacientes, mas com a adoção de medidas no tempo certo, tudo ficou mais fácil frente a nova realidade.

“O calor humano teve que esfriar, mas com as medidas que tomamos, separando uma área só para covid, mantendo os pacientes afastados das demais enfermarias e a utilização dos equipamentos de segurança para proteção individual, a gente foi se adaptando a nova realidade sem tornar o atendimento tão impessoal”, destacou a coordenadora.

Viviane Murici – Coordenadora de Enfermagem

Ela reforçou ainda o papel da enfermagem no dia a dia do hospital e classificou como indispensável a atuação do setor no atendimento como um todo, não só aos pacientes, mas também aos familiares. “Eu costumo dizer que nosso setor é o coração. Destaco também que não é só levar em consideração a questão física e técnica, mas o acolhimento dos pacientes e atenção especial aos familiares que chegam também com o psicológico abalado diante das situações”, refletiu.

Viviane Murici atua há quase 20 anos na Climege e nesse tempo viu muita gente chegar e ficar, tendo o amor pela profissão como ingrediente fundamental para a consolidação do trabalho de toda uma equipe.  “Muita gente se aposentou aqui e tantos outros que fazem parte da nova geração absorveram muito bem esse histórico de cuidado e sabem conciliar o lado profissional, fazendo uso também das emoções nos momentos oportunos e dominando com excelência as ferramentas digitais, tão necessárias nos dias atuais”, disse.

O setor de enfermagem conta ainda com as habilidades da enfermeira Maria Clara e das técnicas: Letícia Aelo, Fernanda Almeida, Jamile Luz, Daniella Lemos, Eleidiane Nascimento e Erica Lobato. Separamos trechos especiais da entrevista em que Viviane Murici fala carinhosamente de cada membro da sua equipe. Veja.

MARIA CLARA – “Enfermeira que chegou para dar um apoio apenas prestando serviços esporádicos, mas foi conquistando seu espaço e mostrando a importância do seu trabalho. Hoje ´´e meu braço esquerdo (riso)”.

DANIELLA LEMOS – “Fez estágios curriculares com a gente e já foi contratada como auxiliar de consultório antes de terminar a formação técnica. Uma vez com a carteirinha do conselho em mãos, passou a integrar a equipe de enfermagem, mostrando, de imediato, as suas habilidades técnicas”.

JAMILE LUZ – “Mostrou tanto empenho, dedicação em outro vínculo profissional que tinha, que eu não pensei duas vezes em convidá-la para compor nossa equipe quando surgiu a primeira oportunidade. Muita calma, eficiente e organizada”.

MARIA ELEIDIANE (LEIDE) – “Trabalhou alguns anos na recepção, até que surgiu uma vaga na equipe de enfermagem. Ela abraçou a oportunidade e se tornou uma peça fundamental na equipe. Muito tranquila, acolhedora e profissional”.

LETÍCIA AELO – “Fez alguns estágios curriculares do curso técnico de enfermagem com a gente e apresentou um bom desempenho, sendo contratada sem demora. Doce, engraçada e dinâmica”.

FERNANDA ALMEIDA – “Paciente do cardiologista Dr. Mauricio desde pequena, formou-se como técnica de enfermagem, passou dois anos sem exercer a função e quando surgiu a oportunidade aqui disputou a vaga e começou a integrar a equipe com um trabalho excelente, com muita segurança e responsabilidade”.

ERICA LOBATO“Mais nova componente da equipe, com adaptação muito rápida. Sua adequação com a equipe foi quase imediata”.